Sociologia no Ensino Médio: Desafios e Perspectivas

Índice de Artigos

e no Brasil como ciência, a implantação das primeiras escolas, as linhas de pesquisas adotadas desde 1936, quando formaram-se os primeiros seis sociólogos (todos homens) pela Escola de Sociologia de São Paulo. O primeiro projeto que tentou legalizar a nossa profissão foi apresentado na Câmara dos Deputados, em 1960. E demoraram 20 longos anos para que a Lei 6.888 de 10 de dezembro de 1980 fosse finalmente sancionada, reconhecendo a profissão de sociólogo no Brasil. A regulamentação veio só em 1984 e os primeiros sindicatos vieram a partir da chamada Nova República, em 1985. A Federação Nacional dos Sociólogos surge em 1988, há 27 anos, mas, com registro em cartório em 1989. Funcionou, contudo, por muitos anos, mais como um movimento social do que uma federação sindical propriamente dita. Há vários capítulos que prestarão imensos serviços aos nossos profissionais. Um deles é sobre o chamado sindicalismo de profissões, em especial de profissionais liberais. O que vem a ser isso? Quantos podem ser considerados “liberais”, no Brasil? Porque os sociólogos foram enquadrados nessa condição? São abordados temas como piso salarial, hora/consultoria, planos de carreira, proposta de currículo mínimo a ser adotado nos cursos de Ciências Sociais e Sociologia. O autor elenca vários anexos, todos de muita utilidade. Publica a Lei e o Decreto de nossa regulamentação, na íntegra. Apresenta uma sugestão de código de ética profissional e uma proposta de Lei que cria o Conselho Federal de Sociólogos e os regionais. Reúne várias tabelas com todos os congressos nacionais de sociólogos ocorridos no Brasil, sendo o primeiro em 1980. Cita todos os presidentes das entidades nacionais, inclusive a “Associação dos Sociólogos do Brasil – ASB”. O livro é encerrado com a participação de sociólogos. O autor publica 15 entrevistas com fotos de sociólogos que atuam nas diversas áreas do mercado de trabalho que ele identificou nas suas pesquisas. O livro é ricamente ilustrado com cartoons de profissionais sociólogos, que atuam nas 18 áreas. Vale a pena que professores, estudantes de Ciências Sociais, Sociologia, Sociologia e Política e, em especial, nossos colegas sociólogos, leiam essa obra inédita no mercado editorial brasileiro.