Egito

  • A Terra Treme no Oriente Médio

    Em termos de história, na maior parte do tempo, sejam em atitudes pessoais, atos coletivos e mesmo descobertas e invenções, nem sempre aquilatamos as dimensões que essas atitudes e descobertas podem ter na história da humanidade e no futuro imediato ou de médio e longo prazo. Pois arrisco um palpite que o caso do jovem de 26 anos Mohammed Boazizi, vendedor de frutas ambulante, mas com formação universitária, é um desses casos. Inconformado com o fato da polícia ter tomado seu carrinho, seu ganha pão, decidiu imolar-se em frente ao palácio presidencial onde governava desde 1988, por longos 23 anos Zine Abdine Ben Ali.

  • Egito muda o rumo da chamada “Primavera Árabe”

    O mundo assistiu, desde domingo, aquilo que a BBC de Londres chamou de “a maior manifestação de massas da história da humanidade ocorrida em um só dia em um país”. Pura verdade. O Egito assistiu no domingo, 30 de junho, 17 milhões de pessoas nas ruas. E nesta quarta, dia 3 de julho, foram 30 milhões. E esse que é o maior país árabe possui 82 milhões de habitantes. Grosso modo, podemos dizer que 36% de sua população saíram às ruas para pedir o fim do governo de Mohamed Mursi. Seria como imaginarmos que 72 milhões de brasileiros saíssem às ruas para protestar. Inimaginável. E olha que a Globo, em seuFantásticodomingo noticiava assim: “milhares de pessoas vão ás ruas no Egito” (sic). Se falasse centenas de milhares estaria mentindo.

  • Eleições no Egito: Para onde vai esse país árabe?

    Se pudesse responder a pergunta acima do título, eu ou qualquer outro estudioso do Oriente Médio responderia de pronto: não dá para saber. É a pura verdade. Nunca o Egito teve uma eleição razoavelmente democrática para escolher seu presidente. Só para termos uma ideia disso, entre 1952 quando jovens oficiais proclamam a República até hoje, passaram 60 anos e o país teve apenas três presidentes: Gamal Abdel Nasser, Anuar El Sadat e Hosni Mubarak. Agora foi eleito um membro da Irmandade Muçulmana e gostaria de dar algumas opiniões sobre essa nova realidade.

  • Oriente Médio e a Nova Geopolítica Mundial

    Todos sabem da importância estratégica que te o Oriente Médio (OM). O artigo que agora apresentamos, tratará do OM árabe, ou seja, não será abordado o Irã (antiga Pérsia) e a Turquia, ambos situados mais à Leste da região. O próprio Golfo que separa o OM árabe desses outros dois países é comumente chamado de “Pérsico”. Preferimos usar Golfo “Pérsico-Arábico”, pois metade das suas margens banha a antiga Pérsia e a outra banha os países árabes.